Páginas

"Todos os argumentos que provam a superioridade humana não eliminam este fato:
no sofrimento os animais são semelhantes a nós."
Peter Singer - Filósofo e professor de bioética na Universidade de Princeton, autor de Libertação Animal (1975)

Pesquisar este blog

segunda-feira, 30 de maio de 2011

O massacre de tubarões para obtenção de barbatanas continua. Chineses são flagrados em Ubatuba (SP)

Em 8 de abril, escrevi o texto “Campanha contra o massacre de tubarões para obtenção de barbatanas”, em que forneci informações sobre o abaixo-assinado para apoiar a iniciativa do Deputado Federal Sávio Neves (PP-RJ) de dar entrada a um projeto de lei propondo o fim do finning (pesca ilegal para obtenção exclusiva das nadadeiras dos tubarões).

De acordo com a ONG Instituto Aqualung, "cerca de 70 milhões de tubarões são mortos todo ano para abastecer o lucrativo comércio mundial de nadadeiras de tubarão, do qual o Brasil e 120 outros países participam."

Dia 23 de maio, o Ibama divulgou em seu site:

“Agentes ambientais federais do Ibama autuaram uma fábrica clandestina em Ubatuba, litoral norte paulista. Na ação, foram apreendidas 380 barbatanas de tubarão, processadas sem as mínimas condições de asseio e higiene. O local, que pertence a uma área de preservação permanente (APP), foi embargado e as multas chegaram perto de R$ 10 mil reais.

No momento da abordagem, comerciantes chineses estavam negociando a compra de barbatanas das espécies tubarão azul e anekin, as mais visadas pelo comércio clandestino. Em geral, as barbatanas são exportadas para a china, onde se acredita que o produto contenha propriedades afrodisíacas.

O Ibama intensificará suas ações na região, onde já está fiscalizando os pontos de desembarque pesqueiro.”
(nota do Fauna News: Ubatuba está inserida em uma APA, Área de Proteção Ambiental, e não em uma APP, como afirma a notícia do Ibama)

Barbatanas apreendidas em Ubatuba, litoral norte de São Paulo
Foto: Divulgação Ibama

No Brasil, 43% das espécies de tubarões estão ameaçadas de extinção. As populações de muitas espécies declinaram até 90% nos últimos 20 anos. Os pescadores capturam o animal, cortam fora suas nadadeiras e atiram o corpo de volta ao mar. A crueldade aumenta de proporção pelo fato de que o animal, muitas vezes, ainda está vivo, mas condenado a agonizar até morrer ou ser comido por outros peixes.

- Leia a matéria do Fauna News  “Camapnha contra o massacre de tubarões para obtenção de barbatanas”.
- Leia o texto de divulgação do Ibama.

Nenhum comentário: