Páginas

"Todos os argumentos que provam a superioridade humana não eliminam este fato:
no sofrimento os animais são semelhantes a nós."
Peter Singer - Filósofo e professor de bioética na Universidade de Princeton, autor de Libertação Animal (1975)

Pesquisar este blog

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Filhotes cada vez mais são vítimas da pressão humana sobre a fauna silvestre

Está se tornando cada vez mais comum encontrar no noticiário alguma matéria sobre a apreensão de filhotes de animais silvestres. As abordagens dos jornalistas, normalmente, são superficiais e não vão além do inusitado do fato. Poucos tentam identificar as causas desse fenômeno.

Em nove de novembro de 2011, dois encontros de filhotes de felinos selvagens foram publicados por diferentes sites. O portal Terra veiculou:

“Um filhote de onça-parda foi encontrado em uma fazenda de Ribas do Rio Pardo, no interior do Mato Grosso do Sul. O animal, de dois meses de idade, estava sem a mãe e agentes da Polícia Militar Ambiental foram chamados para resgatar a onça.” – texto da matéria “Filhote de onça-parda é resgatado de fazenda no interior do MS”


Filhote de onça-parda pode ter tido a mãe morta por caçadores
Foto: Divulgação Polícia Militar Ambiental (MS)

Em dois momentos a matéria toca em uma hipótese que explicaria o fato de a pequena onça-parda estar sozinha e perdida. “A PM acredita que a mãe possa ter sido morta por caçadores.” e “Em Mato Grosso do Sul tem sido caçada principalmente porque costuma matar animais de fazenda para ensinar os filhotes a caçar.” Essa tímida busca pela causa de o felino estar abandonado não foi sequer esboçada pelo jornalista Marco Antonio Calejo, que apurou “Filhote de jaguatirica é encontrado em São Miguel Arcanjo”, publicada pelo site do interior paulista temmais.com a partir de uma matéria do mesmo repórter veiculada na TV Tem (afiliada da Rede Globo) – as empresas são do mesmo grupo.


A jaguatirica tem cerca de 20 dias de vida
Imagem: Reprodução TV Tem

“Em São Miguel Arcanjo, um filhote de jaguatirica foi encontrado numa madeireira. Não é a primeira vez que um animal silvestre aparece na região. Segundo o dono da área, onças já foram vistas no local.

 O filhote de jaguatirica, que tem cerca de vinte dias, ficou preso numa gaiola até a chegada da Polícia Ambiental. Apesar de ser pequeno, se mostrou arisco. O animal será atendido por um veterinário e depois encaminhado ao Centro Brasileiro para Conservação de Felinos Neotropicais, com sede em Jundiaí.”


Esse é todo o texto. Não passou de uma abordagem movida pela curiosidade do fato. Na versão da televisão, mais extensa e completa, também nada sobre a causa de o filhote estar separado da mãe e em área quase urbana.

E sabe o que ainda me incomodou mais um tanto? O repórter da matéria da TV Tem segura o filhote de jaguatirica durante a gravação como se estivesse com algo sem vida, chacoalhando de um lado para outro. Assista à matéria:



- Leia a matéria do portal Terra
- Saiba mais sobre jaguatiricas

Nenhum comentário: