Páginas

"Todos os argumentos que provam a superioridade humana não eliminam este fato:
no sofrimento os animais são semelhantes a nós."
Peter Singer - Filósofo e professor de bioética na Universidade de Princeton, autor de Libertação Animal (1975)

Pesquisar este blog

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Reflexão para o fim de semana: a morte no transporte do tráfico

O vídeo a seguir foi feito no município de Avellaneda, na província de Santa Fé, Argentina, após a prisão de um homem que transportava pássaros e macacos em uma caminhonete. Essa é a descrição do mesmo no You Tube, onde foi publicado em 22 de abril de 2009.

Minha intenção é mostrar a quantidade de pássaros que caem mortos da caixa de transporte durante a soltura - que, saliente-se, aparenta ter sido feita sem critérios técnicos. Não importa, nesse momento, questionar está correta a afirmação de que para cada grupo de 10 animais silvestres retirados da natureza para o tráfico, apenas um chega vivo para o consumidor final e o cativeiro eterno.

O fato é: há mortes.



Um comentário:

Anônimo disse...

Olá, em primeiro lugar, parabéns pelo site!! Em segundo, o que me preocupa MUITO nesse vídeo é essa soltura. Apesar de saber (trabalho com isso) que os animais são transportados em condições péssimas pelos traficantes, eles são a mercadoria que venderão para lucrar e por isso não é de seu interesse perder muitos animais. Minha pergunta é se existem informações sobre como foi feita a apreensão, quanto tempo os animais ficaram na delegacia, porque não foram mudados para gaiolas espaçosas e limpas, com água limpa e comida, foram expostos a frio ou calor extremo. Trabalhando no combate ao tráfico de fauna desde 2007 junto à SOS fauna, o que tenho visto é que os cuidados no pós-apreensão determinam a taxa de mortalidade, às vezes mais do que as condições de transporte. Outro fato a ser notado é - essa soltura jamais poderia ter sido feita assim. Animais apreendidos (a não ser que seja flagrante no ato da captura) precisam passar por cuidados, reabilitação, avaliação comportamental e veterinária, além de serem necessários cuidados referentes aos prováveis locais de origem deles. A soltura dessa forma pode não só condenar esses animais soltos à morte (devem estar estressados, machucados, desidratados, doentes, desnorteados), como pode inserir doenças nas populações naturais...
O tráfico de animais só existe pq tem quem compre, há demanda. Quem compra animais silvestres deveria ser responsabilizado por situações como essa da notícia.
Um abraço e até! Juliana M Ferreira (bióloga doutoranda na USP, voluntária da SOS Fauna e TED senior fellow)