Páginas

"Todos os argumentos que provam a superioridade humana não eliminam este fato:
no sofrimento os animais são semelhantes a nós."
Peter Singer - Filósofo e professor de bioética na Universidade de Princeton, autor de Libertação Animal (1975)

Pesquisar este blog

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Depois dos 517 papagaios, agora é a vez dos 1.870 canários: descaso do poder público

Proteger e recuperar o meio ambiente são responsabilidades de todos nós, mas uma obrigação legal da União, dos estados e dos municípios. Tal obrigação está registrada e descrita na Política Nacional do Meio Ambiente (Lei Federal nº 6.938, de 31 de agosto de 1981).

Apesar da Lei, o poder público é, em geral, omisso e irresponsável quando o assunto é “fauna silvestre”. E quando se aborda o tratamento que se dá aos animais apreendidos com traficantes ou que necessitam de algum tipo de assistência, a situação é escandalosa. O Ibama mantém uma rede de Cetas (Centro de Triagem de Animais Silvestres) espalhada pelo país totalmente deficiente e sem infraestrutura para atender a demanda. Reforçando o descaso estão os estados e os municípios. inexistente

Um exemplo da carência que os Cetas enfrentam ocorreu quando, em de 2011, em setembro de 2011, 517 papagaios foram apreendidos por policiais federais com traficantes em Pernambuco. As aves foram levadas para o Cetas de Recife. E o que aconteceu...?

“Com apenas três funcionários, o Cetas teve que pedir ajuda. Segundo Edson Lima, analista ambiental do Ibama, tudo começou com uma mensagem via e-mail para um grupo de cinco pessoas. “A mensagem foi colocada em sites de relacionamento e houve uma ‘explosão’ de voluntários nos procurando para alimentar esses animais”, disse Lima. (...)
Voluntários recebendo instruções no Ibama de Recife
Foto: Paulo Barros

“Além do alimento, precisávamos de seringas, luvas e óculos especiais para quem fosse cuidar dos bichos. Estamos tendo ajuda de duas organizações ambientais, uma brasileira e uma norte-americana, que estão nos doando os materiais”, disse Edson Lima.” – trecho do post “517 de filhotes de aves escancaram o descaso do poder público com a fauna silvestre”, publicado pelo Fauna News em 6 de outubro de 2011

O problema no Cetas do Recife não aconteceu pela grande quantidade de aves apreendidas. Se o número de animais fosse menor, a crise seria a mesma.

Ou você acha que três funcionários sem infraestrutura têm super poderes?

E como o poder público não se mexe, cabe às ONGs trabalharem para suprir a lacuna. Foi o que aconteceu em Recife, com a ECO - Organização para a Conservação do Meio Ambiente, que correu para ajudar e está acontecendo com a SOS Fauna, de Juquitiba (SP).

“Na madrugada de ontem, 12 de janeiro, a Guarda Civil de Barueri interceptou um caminhão de carne vindo de Mato Grosso do Sul, na cabine 1.200 canários-da-terra, posteriormente após a continuidade do trabalho, a Delegacia de Policia de Meio Ambiente de Carapicuíba assumiu. Na diligência à residência do suspeito, lá foram encontradas mais 670 aves.




Caminhão onde estavam os canários

A Delegacia de Meio Ambiente de Carapicuíba tentou, de todas as formas apoio ao recebimento das aves juntos às instituições oficiais, porém ocorreu a negativa de todos em receber as aves. Paralelamente a isso nos solicitou para apoio em relação aos primeiros socorros, e assim fizemos. Ocorre que acabamos, além de prestar os devidos socorros iniciais, por receber as aves onde, aos poucos, vamos tentar encaminhas à outras instituições. A grande maioria dos canários-da-terra apreendidos são originários do Peru, vindo através do estado de Mato Grosso do Sul para São Paulo.”
– relato do presidente da SOS Fauna, Marcelo Pavlenco da Rocha, no Facebook


Veja o apelo que Marcelo está fazendo por e-mails e redes sociais:

“Caros amigos e colaboradores da SOS Fauna,

 Como já era esperado e uma situação que deve se prolongar por alguns dias, acabamos recebendo os mais de MIL E OITOCENTOS canários-da-terra peruanos apreendidos na última 5ª feira, 12 de janeiro – CONFORME RELATO MAIS ABAIXO, CORPO DESTE E-MAIL. Mesmo porque as instituições oficiais não puderam receber!!!

 Estamos trabalhando média 16/17 horas/dia, nossas taxas de óbito até o momento não ultrapassam os 3%, porém as dificuldades vieram justamente no momento da finalização do trabalho de devolução dos papagaios ao Mato Grosso do Sul.

Necessitamos COM TODA URGÊNCIA DO MUNDO os itens relatados abaixo, pois o momento é CRÍTICO e para manter as quase DUAS MIL AVES vivas, além das que aqui já estavam, há muito que se fazer. As quantidades citadas abaixo são apenas cálculos aproximados pelos próximos 30 dias.”
– trecho do e-mail

E a situação da SOS Fauna não é a única. Diversas outras enfrentam esse caos diariamente. Vou destacar o que foi escrito pelo Marcelo: “Mesmo porque as instituições oficiais não puderam receber!!!”

Isso é descaso! Para dizer o mínimo...

Para ajudar a SOS Fauna:
SOS Fauna – Órgão de Defesa da Fauna e Flora Brasileira
Banco Itaú S/A – Banco 341 – Agência 0196 – Conta Corrente nº 60.720-4
CNPJ para casos de DOC: 03.884.927/0001-20


Entre em contato com a SOS Fauna para mais informações: sosfauna@sosfauna.org

- Leia mais sobre a apreensão dos 1.870 canários na matéria do potal G1
- Conheça a SOS Fauna
- Conheça a ECO - Organização para a Conservação do Meio Ambiente
- Releia “517 de filhotes de aves escancaram o descaso do poder público com a fauna silvestre”, publicado pelo Fauna News em 6 de outubro de 2011

Nenhum comentário: