Páginas

"Todos os argumentos que provam a superioridade humana não eliminam este fato:
no sofrimento os animais são semelhantes a nós."
Peter Singer - Filósofo e professor de bioética na Universidade de Princeton, autor de Libertação Animal (1975)

Pesquisar este blog

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Começar a semana pensando...

...que borboletas não são bolhas de sabão, pétalas de rosas ou arroz para embelezar festinha.

Realmente, o comércio não tem limites:

“Você já ouviu falar da revoada de borboletas vivas em casamentos? Esta moda que chegou do exterior está conquistando cada vez mais os pombinhos brasileiros.

Borboletas para casamentos: e com autorização do Ibama
Foto: Reprodução R7

Ainda são poucos os estabelecimentos no País que atendem à demanda de casais que querem este espetáculo em seu evento. Localizado na Bahia, o Borboletário Encanto é um dos criadouros que distribuem borboletinhas para todo o Brasil.”
– texto da matéria “Nova moda em casamentos, revoada de borboletas desequilibra a natureza”, publicada pelo portal R7 em 23 de maio de 2012

A dona do borboletário teve um raciocínio manco para solucionar possíveis problemas com suas “mercadorias”. Ela adotou uma técnica para reduzir o estresse dos insetos:

“Para enviar os animais para todo o Brasil, a equipe de Sara utiliza-se do método da diapausa, uma espécie de hibernação dos insetos.

(...) — A diapausa é um processo natural que diminui o metabolismo dos animais. Ele também ocorre na natureza quando há quedas bruscas na temperatura. O problema da diapausa induzida é se o choque térmico for muito forte, aí sim pode acarretar danos maiores nos animais, já que o metabolismo pode demorar muito para voltar ao normal. Caso contrário, não gera traumas nas borboletas. (fala do biólogo e especialista em borboletas Marcelo Duarte da Silva, do Museu de Zoologia da USP)”
– texto do portal R7

Mas a comerciante não pensou no impacto que a soltura de animais de uma espécie estranha a um ecossistema pode causar:

“— A preocupação de soltar uma população estranha dentro de outro ecossistema é a troca entre as populações. Aqui no Brasil não existem muitos estudos sobre este assunto, mas uma série de processos graves podem ser desencadeados por causa desse desequilíbrio ambiental.

Além dos danos ao meio ambiente, Marcelo da Silva diz não concordar com a criação de animais silvestres para fins comerciais.

— Não soa biologicamente correto. Para mim, criar borboletas para soltar em casamentos é a mesma coisa que pegar um monte de macacos e soltar em eventos. Eu sou contra a prática. (declarações do biólogo)”
– texto do portal R7

E sabe o que é pior: o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) deu licença para o funcionamento do borboletário. O órgão não deveria lutar pela defesa dos animais?

- Leia a matéria completa do portal R7

Um comentário:

depaula disse...

O IBAMA sempre decepcionando.