Páginas

"Todos os argumentos que provam a superioridade humana não eliminam este fato:
no sofrimento os animais são semelhantes a nós."
Peter Singer - Filósofo e professor de bioética na Universidade de Princeton, autor de Libertação Animal (1975)

Pesquisar este blog

terça-feira, 11 de junho de 2013

Repelente químico: mais uma ferramenta contra atropelamentos de fauna

“As empresas Natur Futura e Alvac, respectivamente de Salamanca e de Segóvia, na Espanha, estão desenvolvendo um projeto de pesquisa que protege os animais e aumenta a segurança nas rodovias. Para isso, estão trabalhando em um produto experimental cujo objetivo é impedir o acesso dos animais às rodovias. O produto, composto de substâncias biodegradáveis, já está sendo testado em Barcelona.


Onça-parda atropelada na via Anhanguera, interior de São Paulo
Foto: Divulgação CCR AutoBAn

O projeto consiste na aplicação do produto às margens de uma via rápida de Barcelona. No local, os problemas causados pelo acesso irrestrito dos animais às rodovias têm sido recorrentes.” – texto da matéria “Empresa espanhola desenvolve barreira química biodegradável que evita o acesso de animais às rodovias”, publicada pela Agência de Noticias de Direitos Animais (Anda) em 7 de junho de 2013

Um número incalculável de animais silvestres é morto por atropelamento, todos os anos, nas estradas e rodovias. De acordo com o coordenador do Centro Brasileiros de Estudos em Ecologia de Estradas, Alex Bager, cerca de 475 milhões de animais morrem nessas circunstâncias todos os anos no Brasil.

Atropelamento de fauna: o problema acontece em todo o mundo
Foto: Diário de Corumbá

A iniciativa das empresas espanholas, com certeza, não será a solução para o problema. Afinal, deve ser difícil preparar um produto que afaste todas as espécies – vale lembrar que, a maioria dos animais mortos atropelados é formada de répteis e anfíbios. Mas a iniciativa é válida pois será mais uma ferramenta para, junto com outras, reduzir esse impacto na fauna.

Repelentes químicos, passagens subterrâneas e aéreas, sinalização, cercas e mata-burros são apenas algumas iniciativas que, dependendo da espécie ou espécies envolvidas, podem ser combinadas para reduzir os acidentes. Acima de tudo, os gestores das rodovias não podem esquecer de realizar campanhas de conscientização junto aos motoristas: respeito à sinalização, aos limites de velocidade e atenção redobrada nos trechos com alta incidência de animais silvestres.

- Leia a matéria completa da Anda
- Leia a matéria "Massacre nas estradas", publicada na edição de maio de 2013 da revista Terra da Gente

Nenhum comentário: