Páginas

"Todos os argumentos que provam a superioridade humana não eliminam este fato:
no sofrimento os animais são semelhantes a nós."
Peter Singer - Filósofo e professor de bioética na Universidade de Princeton, autor de Libertação Animal (1975)

Pesquisar este blog

terça-feira, 13 de agosto de 2013

O pouco falado tráfico de peixes ornamentais

Em 2001, a Rede Nacional de Combate ao Tráfico de Animais Silvestres (Renctas) estimou em 38 milhões a quantidade de animais silvestres retirada da natureza por ano no Brasil. Esse número não inclui invertebrados e peixes.

Mas o mercado negro de peixes ornamentais existe e é bastante intenso na região Norte.

“Cinco pessoas integrantes de uma quadrilha envolvida com o tráfico de peixes ornamentais da Amazônia foram presas na tarde deste domingo (11), no município de São Paulo de Olivença (distante a 985 quilômetros em linha reta de Manaus), por policiais civis lotados na 52ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP). A quadrilha foi presa momento em que faziam o desembarque da mercadoria ilegal que seria transportada para a Colômbia.

 
Uma das arraias apreendidas
Imagem: Reprodução Rede Amazônica

A ação contou com o apoio de 2º Pelotão do 8º Batalhão da Polícia Militar do local. Foram presos em flagrante no aeroporto do município Jeferson Salvador Barbosa, 30, Jeice Salvador Barbosa, 28, Alair Penador Pissango, 34, Frederico Palla de Souza, 23, e Irenildo Porto Pereira, 43.

(...) Durante a ação, cerca de 40 arraias e aproximadamente 300 peixes, distribuídos em 30 sacolas, foram apreendidos.  A mercadoria está avaliada em aproximadamente R$ 48 mil. Na delegacia, Jeferson alegou que depositou na conta do piloto da aeronave, Frederico Souza, R$ 15 mil, referente ao transporte realizado do município de Itaituba, no Pará, com destino a São Paulo de Olivença, de onde após o desembarque seguiria de lancha com a mercadoria até o destino final, na Colômbia.”
– texto da matéria “Quadrilha envolvida em contrabando de peixes ornamentais é presa no Amazonas”, publicada em 12 de agosto de 2013 pelo jornal A Crítica (AM)

Dimensionar qualquer atividade criminosa, como tráfico de drogas ou de animais, é uma proposta bastante arriscada. Afinal, é real a possibilidade de um grande erro. No caso do comércio ilegal de peixes ornamentais essa estimativa provavelmente nem existe. De acordo com a CPI que investigou o tráfico de animais silvestres entre 2004 e 2006, somente do estado do Amazonas são exportados, anualmente, entre 20 milhões e 40 milhões de peixes ornamentais por ano.

- Leia a matéria completa de A Crítica

Nenhum comentário: