Páginas

"Todos os argumentos que provam a superioridade humana não eliminam este fato:
no sofrimento os animais são semelhantes a nós."
Peter Singer - Filósofo e professor de bioética na Universidade de Princeton, autor de Libertação Animal (1975)

Pesquisar este blog

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Defendendo uma reserva biológica... inclusive do tráfico de animais

“Com o objetivo de reforçar a proteção da Reserva Biológica do Tinguá, na Baixada Fluminense, a Secretaria do Ambiente do Estado do Rio assinou hoje (7) um protocolo com as prefeituras de seis municípios vizinhos à área de proteção ambiental.

Reserva Biológica do Tinguá: 26 mil hectares de Mata Atlântica
Foto: ICMBio

De acordo com o documento, as prefeituras se comprometem a desenvolver ações e projetos voltados para a preservação da região, que tem 26 mil hectares, e é um das mais importantes unidades de conservação federal. As cidades que assinaram o protocolo são: Duque de Caxias, Japeri, Nova Iguaçu e Queimados, na Baixada Fluminense; Miguel Pereira, no centro-sul do estado, e Petrópolis, na região serrana.

Entre as ações acertadas, estão previstas a readequação dos limites das unidades de conservação municipais com a reserva biológica, revisão dos planos diretores e iniciativas conjuntas de educação ambiental e de fiscalização.”
– texto da matéria “Governo do Rio e prefeituras firmam acordo para reforçar proteção de reserva biológica”, publicada em 7 de novembro de 2013 pela Agência Brasil

Foi anunciado o investimento de R$ 4 milhões na unidade de conservação e na região. Um dos problemas da Reserva é a captura de animais para abastecer o tráfico, já que há inúmeras feiras na Baixada Fluminense onde o crime é cometido.

Unidades de conservação são muito cobiçadas por traficantes de fauna. É como os bancos para os assaltantes...

Para combate o mercado negro de animais, a ideia parece estar bem estruturada: pensou-se na fiscalização e em educação ambiental e na geração de emprego e renda, já que se espera que os investimentos criem oportunidades no ecoturismo e na gastronomia. Jamais se deve deixar as comunidades de fora de qualquer planejamento envolvendo unidades de conservação.

Só faltou um detalhe: quando tudo isso sai do papel? A matéria não informou...

- Leia a matéria completa da Agência Brasil

Nenhum comentário: