Páginas

"Todos os argumentos que provam a superioridade humana não eliminam este fato:
no sofrimento os animais são semelhantes a nós."
Peter Singer - Filósofo e professor de bioética na Universidade de Princeton, autor de Libertação Animal (1975)

Pesquisar este blog

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Traficando tartarugas para a panela

Na Amazônia ainda cultiva-se o hábito de comer carne de tartarugas. E não pense que é para saciar a fome de comunidades ribeirinhas de longínquas localidades. Em cidades grandes, onde há a oferta de carne de animais de produção (gado e porcos, por exemplo), existe uma demanda pelos animais silvestres.
Essa demanda alimenta um mercado clandestino.

“Cento e oitenta e seis quelônios foram apreendidos pelo Batalhão Ambiental da Polícia Militar do Amazonas durante a madrugada desta segunda-feira (11), entre os quilômetros 11 e 12 da rodovia AM-352, estrada que liga Manaus ao município de Novo Airão (a 200 quilômetros da capital).

(...) A carga apreendida foi levada para a 2ª Companhia do Batalhão Ambiental de Policiamento e os animais deverão ser soltos no rio Negro ainda na tarde desta segunda-feira (11).”
– texto da matéria “Batalhão Ambiental apreende 186 quelônios escondidos em veículo”, publicada em 11 de novembro de 2013 pelo site Em Tempo

Parte das tartarugas apreendidas
Foto: Divulgação PM Ambiental AM

Infelizmente, o motorista que transportava as tartarugas em um carro fugiu. A matéria não apresenta detalhes sobre a espécie do animal e as condições de conservação da espécie.

O tráfico de animais não abastece apenas quem deseja um bicho de estimação. Esse mercado negro também atende a restaurantes e quem deseja esse tipo de prato...

- Leia a matéria completa do Em Tempo

Nenhum comentário: