Páginas

"Todos os argumentos que provam a superioridade humana não eliminam este fato:
no sofrimento os animais são semelhantes a nós."
Peter Singer - Filósofo e professor de bioética na Universidade de Princeton, autor de Libertação Animal (1975)

Pesquisar este blog

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Destruindo a casa dos animais silvestres para fazer casas para humanos. Morte na estrada é a consequência

“Macacos e outros animais que se abrigavam na mata devastada recentemente às margens do km 67 da Rod. Bunjiro Nakao estão totalmente desnorteados e, com isso, colocando em risco, inclusive, a vida de motoristas que trafegam pela via. Nesta semana, um motociclista que passava pelo local acabou atropelando um bugio, que morreu na hora. Já o rapaz ficou gravemente ferido e permanece internado em um hospital da região. Desde que o desmatamento ocorreu, dezenas de animais, entre eles, pássaros, esquilos, raposas, veados e outros estão morrendo devido à destruição de seu habitat natural. Isso sem contar as espécies que acabaram sendo atropeladas sem piedade pelos diversos tratores que desmataram mais de 140.000 m² de Mata Nativa existente no local.” – texto da matéria “Atrocidade: animais estão morrendo em função do desmatamento na Bunjiro”, publicado em 13 de dezembro de 2013 pelo site do Jornal do Povo (Ibiúna – SP)

Bugio morto por atropelamento ao lado de área desmatada
Foto: Jornal do Povo

Além de estarem desnorteados pela transformação do ambiente onde viviam, os animais podem estar querendo sair na busca, por exemplo, de novas áreas com alimento disponível. E esse deslocamento pode colocá-los em risco, principalmente quando há estradas ou rodovias no caminho.

De acordo como Centro Brasileiro de Estudos em Ecologia de Estradas, 475 milhões de animais silvestres morrem, todos os anos, nas estradas e rodovias brasileiras.

Esse massacre torna-se mais perverso quando os desmatamentos, que podem expulsar os animais de seus hábitats os obrigando a se arriscarem em travessias de vias com tráfego de veículos, são realizados por causa de interesses nada claros e que merecem ser investigados. Veja:

“O atual secretário Municipal de Meio Ambiente, Fernando Sales, afirmou que o Processo Administrativo que tratava da autorização da prefeitura para corte de espécies exóticas (neste caso eucalipto) simplesmente sumiu. “Entretanto, entramos em contato com a Polícia Ambiental, que nos apresentou uma autorização emitida pela Secretaria Municipal da gestão anterior, com uma autorização assinada autorizando o corte de espécies exóticas. Porém, pelas imagens de satélite, podemos perceber que não existia no local nenhuma plantação de eucalipto, mas sim uma densa área de Mata Nativa. Além disso, em agosto, quando tivemos que deixar a prefeitura, não tinha nenhum pedido para realização de tal procedimento neste local, ou seja, é muito estranho eles terem conseguido esta autorização em menos de três meses. Isso sem contar que o processo simplesmente sumiu da prefeitura. Iremos abrir uma sindicância e pedirmos a abertura de uma Ação Civil Pública junto ao Ministério Público, que deverá providenciar uma perícia no local e tomar as demais providências civis e criminais sobre o caso. Enquanto isso, a área permanece embargada”, garantiu Fernando.” – texto do Jornal do Povo

Só para esclarecer: de acordo com a PM Ambiental, a área está no nome da Speedy Empreendimentos Imobiliários, com sede em São Paulo.

Será que destruíram a casa dos animais silvestres para fazer casas para humanos?

- Leia a matéria completa do Jornal do Povo

Nenhum comentário: