Páginas

"Todos os argumentos que provam a superioridade humana não eliminam este fato:
no sofrimento os animais são semelhantes a nós."
Peter Singer - Filósofo e professor de bioética na Universidade de Princeton, autor de Libertação Animal (1975)

Pesquisar este blog

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

O Exército tem de dar explicações

“Um caminhão do Exército Brasileiro carregado com animais silvestres, e com sete militares, tombou na tarde desta terça-feira (17/12) na Rodovia Estadual AC-40, nas proximidades da cidade de Rio Branco, capital do Acre. As causas do acidente ainda são desconhecidas.

Caminhão do Exército estava transportando animais silvestres
Foto: Felipe Falcão

De acordo com as primeiras informações, divulgadas pela imprensa local, o caminhão estava sendo conduzido pelo soldado N. L., de 24 anos, e segundo testemunhas, estaria em alta velocidade.”
– texto da matéria “Caminhão do Exército carregado com animais silvestres tomba na AC-40, próximo a Rio Branco”, publicada em 17 de dezembro e 2013 pelo site Campo Grande Notícias

Dois militares ficaram feridos.

“Em meio aos destroços, dentro de caixas de madeiras quebradas, foram encontrados vários animais, entre eles 01 cobra da espécie Jibóia, 01 Tatu, 01 Jabuti e 01 filhote de Macaco Prego.

Não bastasse o acidente, o jabuti foi deixado dessa forma pelos militares até ser recolhido
Foto: Felipe Falcão

Jiboia que estava com os militares
Foto: Felipe Falcão

Procurado pela equipe de reportagem, o comando do Exército na cidade de Rio Branco (AC) preferiu não se manifestar sobre o acidente, e nem sobre os animais silvestres que os militares estavam transportando.” – texto do Campo Grande Notícias

A postura do Exército em não dar informações sobre os animais leva a dois raciocínios: ou eles estão apurando os fatos para depois divulgar ou os bichos estavam ilegais com os militares.

Se o Exército não tinha autorização para manter esses animais em seu poder (ou para transportá-los), o que os militares iriam fazer com eles? Era caça? Era tráfico? Era para mantê-los como bichos de estimação em algum quartel ou residência?

Exército, por favor, explicações.

- Leia a matéria completa do Campo Grande Notícias

Um comentário:

michèle sato disse...

e ai, qual foi a desculpa?
curiosa pra ver o tamanho da cara de pau...