Páginas

"Todos os argumentos que provam a superioridade humana não eliminam este fato:
no sofrimento os animais são semelhantes a nós."
Peter Singer - Filósofo e professor de bioética na Universidade de Princeton, autor de Libertação Animal (1975)

Pesquisar este blog

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Lobo-guará não entrou para o grupo do 475 milhões de animais mortos

Estimativa do coordenador do Centro Brasileiro de Estudos em Ecologia de Estradas, Alex Bager, chegou a um impressionante e triste número: 475 milhões de animais silvestres morrem atropelados nas estradas e rodovias brasileiras todos os anos.

Felizmente, o lobo-guará atropelado em uma estrada do município de Capela do Alto (SP) sobreviveu. E melhor, foi tratado com competência e retornou à vida livre

“Um lobo-guará resgatado em dezembro foi devolvido nesta quinta-feira à Floresta Nacional de Ipanema (Flona), em Iperó. O animal estava bastante debilitado quando foi encontrado em uma estrada da cidade de Capela do Alto. Depois de resgatado, ele permaneceu sob os cuidados da equipe do Zoológico Municipal Quinzinho de Barros, em Sorocaba. O canídeo foi solto na Flona, seu habitat natural, em uma ação que envolveu, além da Secretaria do Meio Ambiente (Sema), a Polícia Ambiental, o Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Mamíferos Carnívoros (Cenap) e o Instituto Chico Mendes.

Momento da soltura do lobo-guará
Foto: Fábio Rogério

Segundo o chefe da seção de Biologia e Veterinária da Sema, Rodrigo Teixeira, o espécime em questão é um macho adulto, porém não é possível precisar a idade do animal. Ainda de acordo com Teixeira, só foi possível resgatar o lobo-guará devido ao estado crítico em que ele se encontrava ao ser localizado pela Guarda Civil Municipal de Capela do Alto. O animal estava impossibilitado até mesmo de caçar. "Ele chegou muito mal, por isso conseguimos manejá-lo facilmente". A situação, entretanto, mudou completamente no período em que o bicho foi tratado no zoológico, já que para retirar o animal da jaula e levá-lo à floresta, a equipe teve bastante trabalho.
"Ele foi melhorando aos poucos e no começo da semana chegou até a avançar no tratador", explica Teixeira.
Além dos ferimentos, o animal tinha ainda uma infecção de larvas de moscas quando chegou ao zoo. Com a recuperação, Rodrigo Teixeira acredita que o lobo-guará esteja em totais condições de voltar à floresta. Até mesmo os hábitos naturais da espécie, como o costume de dormir durante o dia e buscar sobrevivência durante a noite, ele já havia recuperado. "Ele já estava sendo alimentado com presas vivas e não apresentava nenhuma dificuldade para apanhá-las", comenta o chefe da seção de Biologia e Veterinária da pasta.” – texto da matéria “Recuperado, Lobo-guará é devolvido à natureza”, publicada em 23 de janeiro de 2014 pelo site do jornal Cruzeiro do Sul

Momento após a soltura
Foto: Emerson Ferraz/PM Sorocaba
Muitos atropelamentos não acontecem em grandes rodovias. Nas estradas vicinais e pequenas vias sem asfalto, por exemplo, é comum ocorrerem acidentes que matam os animais, afinal nelas a sinalização é mais precária e praticamente não existe infraestrutura (cercas, passagens de fauna e mata-burros, por exemplo) para direcionar os bichos para áreas mais seguras ou realizarem a travessia sem correr tanto perigo.

Essa falta de cuidado do poder público tem um aliado: o motorista desinformado ou sem consciência do potencial de atropelamentos de fauna em determinadas regiões.

- Leia a matéria completa do Cruzeiro do Sul

Nenhum comentário: