Páginas

"Todos os argumentos que provam a superioridade humana não eliminam este fato:
no sofrimento os animais são semelhantes a nós."
Peter Singer - Filósofo e professor de bioética na Universidade de Princeton, autor de Libertação Animal (1975)

Pesquisar este blog

quinta-feira, 20 de março de 2014

Em dois meses, 645 animais apreendidos na PB. E podia ser mais

“O Batalhão de Polícia Militar Ambiental (BPAmb) já apreendeu, nos dois primeiros meses deste ano, 645 animais que estavam sendo mantidos irregularmente em cativeiro em residências ou em criadouros para comércio ilegal. As ações aconteceram em diversos bairros da Região Metropolitana de João Pessoa, dentro da Operação Resgate. Entre os bichos que mais aparecem entre aqueles resgatados estão espécies de aves de forma geral, répteis e anfíbios.

A maioria dos animais é vítima do tráfico de fauna
Foto: Divulgação PM Ambiental PB

Conforme o comandante do Batalhão Ambiental, tenente coronel Paulo Sérgio, os flagrantes são feitos muitas vezes nas feiras livres, local onde acontece a venda ilegal, e em residências próximas a reservas, onde há a criação doméstica irregular. “A multa para quem pratica esses crimes variar de R$ 500, por animal, até R$ 5 mil se ele estiver ameaçado de extinção”, alertou o oficial, ao lembrar que maus tratos a qualquer tipo de bicho, mesmo aqueles que podem ser criados em domicílio, também geram penalidades.” – texto da matéria “Polícia ambiental apreendeu 645 animais silvestres no primeiro bimestre de 2014”, publicada em 18 de março de 2014 pelo site WSCOM

O total divulgado também inclui animais silvestres resgatados em ambienta urbano. Mas esses não são a maioria. Os vítimas do tráfico e do cativeiro doméstico são a maior parte.

O número é grande, mas poderia ser bem maior. Muito maior!

Se os policiais realmente quiserem apreender todos os animais mantidos irregularmente em residências e fizessem operações em todas as feiras, essa quantidade já estaria na casa dos milhares. Estima-se que 60 milhões de brasileiros que possuem animais silvestres e que entre dois e quatro milhões de bichos vivam em cativeiros ilegais no país.

O costume de criar silvestres como bichos de estimação é que movimenta o mercado negro de fauna por todo o Brasil, em especial em feiras no Nordeste. Esse hábito é responsável por boa parte dos 38 milhões de animais silvestres retirados todos os anos da natureza para abastecer o comércio ilícito de fauna no Brasil (dados de 2001 da Rede Nacional de Combate ao Tráfico de Animais Silvestres, a Renctas).

- Leia a matéria completa do WSCOM

Nenhum comentário: