Páginas

"Todos os argumentos que provam a superioridade humana não eliminam este fato:
no sofrimento os animais são semelhantes a nós."
Peter Singer - Filósofo e professor de bioética na Universidade de Princeton, autor de Libertação Animal (1975)

Pesquisar este blog

terça-feira, 6 de maio de 2014

Primatas raros roubados na Inglaterra são recuperados

“A polícia britânica recuperou quatro de cinco macacos que foram roubados de um zoológico no norte da Inglaterra. A busca pelos animais, alguns deles de espécies seriamente ameaçadas de extinção, espalhou-se por toda a Europa.

Os ladrões levaram os macacos --duas fêmeas e um filhote da espécie sagui-cabeça-de-aldogão e dois da sagui-imperador-- de suas jaulas após abrirem um buraco na cerca de proteção em um zoológico de Blackpool, no noroeste da Inglaterra, na noite de terça-feira.

Sagui-cabeça-de-algodão: espécie em extinção
Foto: Stephanie Pilick/dpa

Autoridades disseram que estavam fazendo interrogatórios em toda a Europa, onde houvesse "definitivamente um mercado para os macacos".

A União Internacional para a Conservação da Natureza lista o sagui-cabeça-de-algodão como uma espécie com perigo crítico de extinção, com uma população mundial estimada de 6.000 animais.

Após um grande apelo público, autoridades do zoológico confirmaram neste sábado que quatro dos cinco macacos foram encontrados sem ferimentos em um endereço de West Yorkshire, na noite de sexta-feira. O filhote ainda está desaparecido.”
– texto da matéria “Polícia encontra quatro de cinco macacos raros roubados de zoo britânico”, publicada em 3 de maio de 2014 pela Reuters Brasil

Esse tipo de ação faz parte do tráfico de animais para colecionadores e zoológicos. É um nicho do mercado negro altamente lucrativo, pois envolve animais em risco de extinção que não estão nas listagem dos silvestres que podem ser comercializados.

Com populações muito pequenas, qualquer animal em extinção retirado da natureza ou de programas de conservação significa um grande prejuízo para a espécie e um grande passo rumo à extinção.

A redução drástica da população ou o desaparecimento de uma espécie da natureza podem causar sérios desequilíbrios aos ecossistemas em que elas atuam. Vale lembrar que a natureza funciona como uma grande teia, com uma espécie (seja animal ou vegetal) dependendo da outra para sobreviver. Assim, a falta de um tipo de ser vivo representa menos alimento para outro, redução na disseminação de sementes, problemas na produção de água e na captura de carbono da atmosfera e por aí vai...

Sobre a matéria da Reuters, faltou informar se prenderam alguém ou identificaram os traficantes e os receptadores.

- Leia a matéria completa da Reuters

Nenhum comentário: