Páginas

"Todos os argumentos que provam a superioridade humana não eliminam este fato:
no sofrimento os animais são semelhantes a nós."
Peter Singer - Filósofo e professor de bioética na Universidade de Princeton, autor de Libertação Animal (1975)

Pesquisar este blog

quarta-feira, 16 de março de 2011

Chega de tiros. A biodiversidade de Alcatrazes merece ser conservada em sua plenitude

Após ler a matéria “Marinha dá sinal verde a parque em Alcatrazes”, publicada hoje em O Estado de S. Paulo (página A33), fiquei pensando como poderia abordar a boa notícia no FAUNA NEWS. Achei melhor simplesmente divulgar a novidade e apenas lamentar a demora na criação de unidade de conservação de proteção integral – no caso, um Parque Nacional - no arquipélago.

Na matéria, o repórter Reginaldo Pupo relata a possibilidade de a Marinha aceitar ceder a área – utilizada para exercícios de tiro – para o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio/Ministério do Meio Ambiente) criar o Parque. A proposta já é discutida há quase três décadas e o fim dos treinamentos militares é objeto de uma disputa judicial desde a década de 90. Atualmente, a Marinha admite a possibilidade de realizar suas atividades na Ponta do Farol, local distante do arquipélago.


Para ICMBio, biodiversidade marinha de Alcatrazes supera a de Fernando de Noronha
Foto: Celso Moraes/Prefeitura de São Sebastião
O acordo entre os ministérios do Meio Ambiente e da Defesa está sendo construído. Outro indicativo de que Alcatrazes deixará no passado sua função de alvo dos tiros das embarcações militares está no fato da apresentação do projeto de criação do Parque, realizada ontem, para a comunidade da região por técnicos do ICMBio.

Alcatrazes é apontado como um dos maiores centros de biodiversidade do Estado de São Paulo. São 12 mil hectares, localizados a 45 quilômetros do porto de São Sebastião, que abrigam mais de 10 mil colônias de, pelo menos, 18 espécies de aves marinhas. O local também abriga a maior concentração de baleias-de-bryde do país, além de inúmeras espécies de peixes, tartarugas.

Está na matéria: “Segundo o ICMBio, a variedade de espécies de peixes e golfinhos supera a vida marinha existente em Fernando de Noronha.”

É preciso mais alguma justificativa para a criação do Parque?

Leia a matéria “Marinha dá sinal verde a parque em Alcatrazes”
Saiba mais sobre a mobilização pela criação do Parque Nacional Marinho de Alcatrazes

2 comentários:

Thayná disse...

Prezados,
A recategorização da ESEC Tupinambás para Parque Nacional Marinho tem o objetivo de permitir a visitação em um local de grande beleza cênica, sendo um dos melhores pontos de mergulho do país. Pretende ampliar a proteção do Arquipélago de Alcatrazes, visando englobar na UC parte da Ilha Principal, onde ocorrem diversas espécies endêmicas e ameaçadas de extinção.
Já em relação à Marinha do Brasil, é importante esclarecer que ela continuará com a posse da raia de tiro para manobras militares, porém a área utilizada pela Marinha ficará fora dos limites do Parque Nacional.
A Marinha do Brasil e o ICMBio são parceiros na proteção do Arquipélago e na proposta de recategorização da ESEC para Parque Nacional.
No site do ICMBio, www.icmbio.gov.br aba "consultas públicas" podem ser encontradas maiores informações sober a proposta.
Atenciosamente,
Thayná J. Mello
Analista Ambiental
ESEC Tupinambás - ICMBio

Karina Dubeux disse...

Uma onda de vibração boa é sentida por nós mergulhadores e aguardamos ansiosamente sermos atingidos por "tiros" de alegria submersa que ecoem o palpitar de corações
de felizes mergulhadores!