Páginas

"Todos os argumentos que provam a superioridade humana não eliminam este fato:
no sofrimento os animais são semelhantes a nós."
Peter Singer - Filósofo e professor de bioética na Universidade de Princeton, autor de Libertação Animal (1975)

Pesquisar este blog

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Força Anhanguera!

Logo que comecei meu dia, coloquei como meta escrever sobre algo positivo, alguma iniciativa interessante pela conservação da fauna. Afinal, ultimamente tenho abusado nos comentários e repercussões de fatos bem desagradáveis.

Lembrei então de uma notinha publicada na edição de ontem, 24 de fevereiro, de O Estado de S. Paulo (página A21), intitulada “Onça atropelada pode voltar à natureza”.

Fui atrás da história e, no site da Associação Mata Ciliar, encontrei o relato sobre a suçuarana Anhanguera. O felino, resgatado após ter sido atropelado na via Anhanguera em setembro de 2009, chegou à instituição com escoriações, um dente fraturado e bastante magro.


Anhanguera em recinto da Associação Mata Ciliar
Foto: Divulgação Associação Mata Ciliar

Atualmente, Anhanguera mostra-se recuperado das lesões, mantendo seus instintos de animal selvagem – principalmente o de manter distância dos seres humanos. Ainda não há data parra seu retorno à natureza que, de acordo com seus tratadores, não ocorrerá na mesma área onde foi localizado devido à urbanização e às alterações de seu hábitat já ocorridas na região.

A instituição, que possui uma unidade em Jundiaí (SP), mantém o Centro Brasileiro para Conservação de Felinos Neotropicais e o Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (CRAS). Por falta de verba, o CRAS ficou fechado durante um ano e, em outubro do ano passado, retomou suas atividades após firmar um convênio com a prefeitura de Jundiaí.

Esse é o quadro do descaso do poder público em manter estruturas próprias para cuidar de animais silvestres vítimas do tráfico, de atropelamentos e de tantas outras situações irregulares e criminosas. Os Cetas (Centros de Triagem de Animais Silvestres) do Ibama ainda são depósitos de animais que, pela falta de infraestrutura, não conseguem cumprir sua missão em receber, tratar e devolver os espécimes apreendidos à natureza.

Cada vez mais, iniciativas da sociedade civil organizada estão tendo de suplantar a ausência do poder público no manejo da fauna brasileira. Força Anhanguera!

Leia mais sobre o Anhanguera.

Um comentário:

Inma disse...

Quanto antes Anhanguera for devolvida à natureza, mais chances ela tem de se integrar e voltar a ter a vida que nós, seres humanos, temos constantemente "roubado" dos mais variados tipos de espécies, como se o nosso suposto bem estar prevalecesse sobre qualquer tipo de vida.... inclusive da nossa própria espécie....