Páginas

"Todos os argumentos que provam a superioridade humana não eliminam este fato:
no sofrimento os animais são semelhantes a nós."
Peter Singer - Filósofo e professor de bioética na Universidade de Princeton, autor de Libertação Animal (1975)

Pesquisar este blog

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Começar a semana pensando...

...na beleza da harpia.

Em 28 de outubro de 2011, escrevi “Fazendo pose com o cadáver da “rainha dos ares”, a harpia” sobre uma foto (ver abaixo) que circulava pelo Facebook com dois homens segurando uma Harpia harpyja morta. A imagem foi captada por um biólogo em Aripuanã, município do Mato Grosso situado perto da divisa com o Amazonas. Os rostos já estavam cobertos na rede social. Na foto é possível ver a data: 31 de julho de 2010.


As circunstâncias da morte dessa harpia não foram citadas no texto do Facebook. Aparentemente, pelos comentários, a ave não morreu acidentalmente. O animal deve ter sido morto por ação humana.

A harpia vive na Amazônia, no Pantanal e na Mata Atlântica. Da ponta de uma asa a outra, chega a medir até 2,2 metros. O macho pode atingir seis quilos e a fêmea, a dez. A degradação do hábitat é a maior ameaça ao gavião-real, como também é conhecida a espécie.

Deixando a desgraça de lado, que tal ver a harpia livre na natureza. Assista ao vídeo! É curtinho (2min51seg) e vale a pena!


- Releia “Fazendo pose com o cadáver da “rainha dos ares”, a harpia”

Nenhum comentário: