Páginas

"Todos os argumentos que provam a superioridade humana não eliminam este fato:
no sofrimento os animais são semelhantes a nós."
Peter Singer - Filósofo e professor de bioética na Universidade de Princeton, autor de Libertação Animal (1975)

Pesquisar este blog

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Reflexão para o fim de semana: vaidade assassina com marfim

“O ano de 2011 teve um número recorde de grandes apreensões de marfim, indicando uma intensificação da caça aos elefantes na África, a fim de atender à demanda asiática de presas para uso em joias e ornamentos, disse uma entidade conservacionista na quinta-feira.

A Traffic, uma parceira do WWF com a União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) que monitora o tráfico de animais selvagens, disse que houve pelo menos 13 apreensões de cargas superiores a 800 quilos de marfim em 2011, o que é mais do que o dobro das seis grandes apreensões de 2010.


 
Apreensão de 1,4 t de marfim na Malásia, em dezembro de 2011
Foto: Elizabeth John / TRAFFIC Southeast Asia

"Uma estimativa conservadora do peso do marfim apreendido nas 13 grandes apreensões de 2011 coloca a cifra em mais de 23 toneladas, o que provavelmente representa cerca de 2.500 elefantes, possivelmente mais", disse a entidade em nota.” – texto da matéria “Apreensão de marfim bate recorde em 2011, diz WWF”, publicada em 29 de dezembro de 2011 pelo portal Terra

Além da China, a Tailândia é outro grande mercado de marfim. Especialistas acreditam que parte do marfim comercializado – a compra e venda é proibida desde 1989 - venha de estoques de apreensões antigas mantidos por governos de países africanos (África do Sul, Botsuana, Namíbia e Zimbábue). Apesar dessa suspeita, o fato é que a matança de elefantes aumentou, principalmente na República Democrática do Congo.

- Leia a matéria do portal Terra
- Leia o texto de divulgação da Traffic (em inglês)
Releia posts do Fauna News sobre elefantes:
- “Lembre-se: atrás das peças de marfim havia animais”, de 5 de abril de 2011
- “Depois dos rinocerontes, agora é a vez dos elefantes desaparecerem no Vietnã”, de 4 de maio de 2011
-  “Uma tentativa de monitorar o tráfico de animais “, de 24 de agosto de 2011

Nenhum comentário: