Páginas

"Todos os argumentos que provam a superioridade humana não eliminam este fato:
no sofrimento os animais são semelhantes a nós."
Peter Singer - Filósofo e professor de bioética na Universidade de Princeton, autor de Libertação Animal (1975)

Pesquisar este blog

sexta-feira, 8 de março de 2013

Pergunta sem resposta: como a oncinha foi parar em ambiente urbano?

O resgate de um filhote de uma onça-parda (que foi confundido com onça-pintada), encontrado no quintal de uma residência do município goiano de Rio Verde, foi o foco de matérias publicadas pelo portal G1 e pela TV Anhanguera (afiliada da TV Globo em Goiás). As abordagens destacaram o fato inusitado e, apesar de citarem uma possibilidade, não refletiram sobre a origem do animal.

“Um filhote de onça pintada foi resgatado no final da manhã desta quinta-feira (7), após ser encontrado no quintal de uma casa, no Bairro Jardim Goiás, em Rio Verde, no sudoeste de Goiás. De acordo com o Corpo de Bombeiros, o animal provavelmente nasceu a apenas 20 dias. (...)


Oncinha resgatada em Goiás
Imagem: Reprodução TV Anhanguera

O Corpo de Bombeiros acredita que o filhote de onça tenha sido levado para cidade por algum morador, pois ele não estava com ferimentos. O animal será encaminhado para o Centro de Triagem de Animais Silvestres, em Goiânia, onde será tratado e treinado para voltar à natureza.”
– texto da matéria “Filhote de onça pintada é resgatado em quintal de residência, em Goiás”, publicada em 7 de março de 2013 pelo portal G1

Com certeza o filhote foi levado por algum morador para a cidade. Afinal, ele não iria sozinho até a residência. O que se deve refletir é o que uma pessoa pretendia ao levar o felino para a cidade. Criá-lo como bicho de estimação?

Outra pergunta que deve ser feita é sobre a mãe do animal. Onde estaria? Morta por atropelamento, por caçadores, por algum fazendeiro...?

O pequeno órfão, de acordo com a matéria, será levado para O Centro de Triagem de Animais Silvestres de Goiânia para, futuramente, voltar à vida livre. Sem a referência e os convívio com a mãe, para ensinar-lhe a sobreviver na natureza, será possível a soltura?

- Leia a matéria completa do portal G1
- Assista ao vídeo da TV Anhanguera

2 comentários:

Cristina Gianni disse...

Só para corrigir que é um filhote de suçuarana, sempre confundido com filhote de onça pintada.

Cristina Gianni disse...

Só para corrigir:não é filhote de pintada e sim de suçuarana.