Páginas

"Todos os argumentos que provam a superioridade humana não eliminam este fato:
no sofrimento os animais são semelhantes a nós."
Peter Singer - Filósofo e professor de bioética na Universidade de Princeton, autor de Libertação Animal (1975)

Pesquisar este blog

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Três anos trabalhando pela liberdade, pelos “roxinhos” e pela floresta

“O projeto de reintrodução do papagaio-de-peito-roxo no Oeste de Santa Catarina comemorou o aniversário de três anos da primeira soltura de aves nesta segunda-feira (6). Desde 2010, a espécie está sendo reintroduzida na mata. A ave é uma espécie natural da região, mas há 20 anos não era mais vista no local. "O objetivo geral do projeto é estabelecer uma população viável a longo prazo, o que faria com que as solturas não fossem mais necessárias", explica a Doutora Vanessa Kanaan, diretora técnica do Espaço Silvestre-Instituto Carijós, responsável pelo projeto.

A floresta e o pequeno papagaio-de-peito-roxo
(no galho, à direita na foto): equilíbrio
Foto: Vanessa Kanaan

O programa faz parte do primeiro projeto de reintrodução de uma espécie de ave dentro de uma unidade de conservação federal no Brasil aprovado pelo ICMBio. As aves são soltas no Parque Nacional das Araucárias. Desde o início, 43 aves foram soltas e são monitoradas periodicamente pelo Espaço Silvestre - Instituto Carijós.” – texto da matéria “Soltura de papagaios-de-peito-roxo completa três anos no Oeste de SC”, publicada em 7 de janeiro de 2014 pelo portal G1

Os papagaios-de-peito-roxo, carinhosamente chamados de “roxinhos” pela equipe do Espaço Silvestre-Instituto Carijós, que foram soltos no Parque Nacional das Araucárias forma todos vítimas do tráfico de animais. São aves que foram apreendidas e entregues ao Ibama.

“Os papagaios vivem livremente em casais ou em pequenos bandos, o que, segundo a Doutora Vanessa Kanaan, demostra que é possível reabilitar animais vítimas do tráfico, melhorando o bem-estar de indivíduos que passariam o resto da vida em cativeiro.” - texto do portal G1

Depois de soltos, papagaios são monitorados
Foto: Vanessa Kanaan

Mas a importância desse projeto não está restrita ao bem estar dos animais, com o retorno à vida livre, e ao esforço em salvar a espécie da extinção.

“(...) o trabalho também tem impacto direto na saúde da floresta, uma vez que os indivíduos soltos tem a chance de cumprir seus papeis biológicos como a dispersão de sementes e de interagir com outras espécies da fauna e flora.” – texto do G1

Floresta saudável é floresta com todos os seus bichos.

Parabéns Espaço Silvestre-Instituto Carijós.

- Leia a matéria completa do portal G1
- Conheça o Espaço Silvestre-Instituto Carijós

Um comentário:

Luiz Carlos Martins (Lukamart) disse...

Parabéns pela iniciativa. Temos que presevar