Páginas

"Todos os argumentos que provam a superioridade humana não eliminam este fato:
no sofrimento os animais são semelhantes a nós."
Peter Singer - Filósofo e professor de bioética na Universidade de Princeton, autor de Libertação Animal (1975)

Pesquisar este blog

terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Final feliz: resgatado de zoo particular, urso volta à natureza

“No último mês, um dos residentes do centro de resgate da instituição, o urso de cinco anos chamado Kudat, foi libertado e deu seus primeiros passos na floresta.

Kudat chegou à BSBCC (observação do Fauna News: Bornean Sun Bear Conservation Centre) em julho de 2010 após ele e um urso fêmea chamada Panda terem sido confinadas em um pequeno zoológico particular, na Malasia.

Kudat na floresta após solutra
Foto: Bornean Sun Bear Conservation Centre

Segundo o CEO da BSBCC e seu fundador, Wong Siew Te, os dois ursos foram aprisionados em pequenas celas de concreto e explorados sendo expostos ao público durante o dia para o entretenimento. Ambos eram mal alimentados e Kudat tinha sinais de agressão em sua pele.”
– texto da matéria “Urso-malaio é libertado e caminha na floresta pela primeira vez”, publicada em 6 de janeiro de 2014 pela Agência de Notícias de Direitos Animais (Anda)

Resgate de Kudat
Foto: Bornean Sun Bear Conservation Centre

A captura e comércio de animais para confinamento em zoológicos particulares é uma das faces do tráfico de fauna. Esse tipo de mercado negro movimenta bastante dinheiro pois, muitas vezes, a demanda é por exemplares de espécies raras, ameaçadas de extinção ou que habitam locais de difícil acesso. Assim aconteceu com a ararinha-azul, capturada no sertão baiano até seu desaparecimento na natureza. Atualmente, 86 aves da espécie vivem em cativeiro de programas de conservação espalhados pelo mundo (incluindo o Brasil).

A situação dos ursos-malaios ainda tem um agravante: a exploração para extração de bile, usada na medicina tradicional asiática.

“O urso-malaio é uma das menores espécies de urso no mundo e também uma das últimas a ser descoberta, são muito difíceis de serem encontradas na natureza, mesmo tendo uma aparência indescritível. Como resultado, o número exato de sua população ainda permanece desconhecido.

Por enquanto, o que não é segredo para ninguém é que estes animais, como muitos outros no mundo, estão sob forte ameaça devido à atividade humana.

O desflorestamento, caça e a demanda para a medicina tradicional asiática (que utiliza a bílis dos ursos, além de outras comidas “exóticas” como a sopa de pata de urso, que já tem vitimado diversos destes animais), fez dos ursos-malaios animais em perigo e classificados como “vulneráveis” pela lista vermelha da União Internacional para Conservação da Natureza (IUCN).

Segundo a IUCN, somente em 30 anos, a população de ursos-malaios caiu para 30% no sudeste asiático, onde eles têm unicamente a floresta do Borneo como habitat natural.”
– texto da Anda

Vale destacar que no Vietnã e na China as “fazendas” de exploração de ursos para extração de bile são legalizadas. Infelizmente, pouquíssimos voltam à vida livre. Milhares permanecem explorados em cativeiros cruéis e com muita dor.

- Leia a matéria completa da Anda

Nenhum comentário: