Páginas

"Todos os argumentos que provam a superioridade humana não eliminam este fato:
no sofrimento os animais são semelhantes a nós."
Peter Singer - Filósofo e professor de bioética na Universidade de Princeton, autor de Libertação Animal (1975)

Pesquisar este blog

quinta-feira, 3 de abril de 2014

285 aves apreendidas em uma casa no Ceará. Seria um depósito do tráfico?

“A Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace), por meio da Diretoria de Fiscalização (Difis), apreendeu na última quinta-feira (27) 285 aves silvestre nativas em uma residência no município de Cascavel, Região Metropolitana de Fortaleza. A ação foi ocasionada após a autarquia receber denúncia do funcionamento irregular de um cativeiro – situação essa confirmada durante a vistoria no local, que aparentava servir para o tráfico de aves. Essa foi a maior apreensão de animais já feita pela Semace.

Fiscais do Semace durante apreensão de 285 aves
Foto: Divulgação Semace

Ao constatar a veracidade da denúncia e a situação de flagrante do cativeiro irregular, a equipe do Setor de Defesa da Fauna da Difis solicitou o apoio da Polícia Militar para adentrar à residência onde estavam os animais. Na ocasião, o responsável pela infração, de iniciais O.S.P., não se encontrava no local.

Agora, a Semace permanece com as investigações para encontrar o infrator e seus dados e, consequentemente, lavrar o auto de infração para que ele responda pelo crime ambiental e receba sua multa. Nesse caso, o acusado poderá cumprir pena de detenção de seis meses a um ano, podendo ser aumentada de metade se o crime for praticado contra espécimes raras – o que é o caso. A multa será de R$ 201.000, sendo cinco mil reais por cada espécime em extinção (13) e R$ 500 por ave.”
– texto da matéria” Semace estoura cativeiro irregular e apreende 285 aves silvestres nativas em Cascavel”, publicada em 1º de abril de 2014 pelo site da Semace

O caso tem de ser investigado pela polícia. O fato de 285 aves estarem em um mesmo local é um forte indicativo de tratar-se de um depósito. Pode ser que a venda ocorra no próprio imóvel, que por tratar-se de uma residência, dificulta o trabalho da fiscalização.

Há também a possibilidade de as vendas não acontecerem na casa, com as aves sendo enviadas para, por exemplo, feiras da região.

De qualquer forma, o caso tem de ser esclarecido. Mesmo que, graças à péssima legislação ambiental, o infrator não fique preso pelas barbaridades que comete.

- Leia a matéria completa do site da Semace

Nenhum comentário: