Páginas

"Todos os argumentos que provam a superioridade humana não eliminam este fato:
no sofrimento os animais são semelhantes a nós."
Peter Singer - Filósofo e professor de bioética na Universidade de Princeton, autor de Libertação Animal (1975)

Pesquisar este blog

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

400 silvestres mortos: eles eram apenas mercadorias em um sistema cruel

A morte de centenas de animais silvestres ocorrida na África do Sul aparentemente não é tráfico de animais. Mas o Fauna News tem o dever de comentar o ocorrido:

“Cerca de 400 espécimes de répteis e anfíbios, muitos deles ameaçados na natureza, foram encontrados mortos em dois caixotes em um aeroporto de Johanesburgo, na África do Sul, vítimas de desidratação e desnutrição.

Tratados apenas como mercadorias
Foto: AP

Eles eram parte de um carregamento de mais de 1,6 mil animais vindos de um país vizinho, Masagascar, que seguia para lojas de animais exóticos nos Estados Unidos.

Os animais, encontrados no Aeroporto Internacional OR Tambo de Johanesburgo, passaram ao menos cinco dias sem água ou comida, segundo relatos. Os aproximadamente 1,2 mil animais sobreviventes estão sendo tratados no zoológico da cidade.

Acredita-se que a empresa responsável pelo transporte dos animais possuía as licenças corretas para exportação, mas ativistas e o governo sul-africano analisam a possibilidade de processá-la por maus-tratos.”
– texto da matéria “Anfíbios e répteis ameaçados são achados mortos em aeroporto sul-africano”, publicada em 1 de janeiro de 204 pelo site da BBC Brasil

O provável motivo das mortes apontado na matéria foi o atraso na conexão do voo rumo aos EUA, por causa do mau tempo no território americano.

O Fauna News discorda dessa explicação! A morte foi ocasionada porque a empresa despachos os bichos e não acompanhou a carga. Afinal, era apenas mais uma.

Esse descaso com a vida e o bem estar dos animais fica escrachado na forma como eles eram “acondicionados”:

“Os animais, de pelo menos 30 espécies diferentes de sapos, camaleões, lagartos e lagartixas, haviam sido colocados em dois caixotes de cerca de meio metro, um sobre o outro.

Alguns animais também foram colocados dentro de pequenos tubos plásticos.

O espaço era tão insuficiente para os animais que eles mal podiam se mover, segundo a imprensa local.”
– texto da BBC Brasil

Esse tipo de trato com a vida animal no comércio internacional parece ser muito comum:

“Gardener (Brett Gardener, veterinário do zoológico da cidade) diz que é normal que haja perdas durante o transporte de longa distância de animais, mas o número tão grande de mortes neste caso provavelmente se deve ao atraso na conexão do voo rumo aos EUA.

"Os caixotes (com animais) chegaram na terça-feira de manhã e deveriam ter embarcado em um voo na mesma noite. O voo atrasou muito por conta do mau tempo (na América do Norte) e fracassaram tentativas de transportar os animais em outros voos", diz ele.”
– texto da BBC Brasil

Que dizer que a morte de animais é normal? E, mesmo assim, esse comércio é permitido. Descaso com a vida.

A situação torna-se mais patética por saberem que havia animais na “carga” que não embarcou como planejado e ninguém se preocupou com a alimentação e a hidratação dos mesmos.

Não é justo que somente a empresa responsável pela remessa dos animais seja punida pela crueldade. Todo o sistema mostrou-se cruel.

Tudo errado.

- Leia a matéria completa da BBC Brasil

Nenhum comentário: