Páginas

"Todos os argumentos que provam a superioridade humana não eliminam este fato:
no sofrimento os animais são semelhantes a nós."
Peter Singer - Filósofo e professor de bioética na Universidade de Princeton, autor de Libertação Animal (1975)

Pesquisar este blog

terça-feira, 23 de julho de 2013

Trinca-ferro de R$ 6 mil é alvo de ladrão: o preço do bicho e o tráfico

“Um homem foi preso na noite deste domingo (21) em Teresópolis, Região Serrana do Rio, quando tentava roubar um passarinho de uma residência no bairro da Prata. O acusado foi flagrado pelo proprietário da casa, que acionou a Polícia Militar (PM). Ele foi levado à 110ª Delegacia de Polícia, no bairro do Alto, onde o caso foi registrado.

 
Trinca-ferro
Foto: Christian Camargo

Longe de ser um simples passarinho, o ladrão tentava furtar um trinca-ferro, avaliado em R$ 6 mil. O animal era registrado. A ave, segundo especialistas, é altamente valorizada por criadores e também é alvo constante de contrabandistas de animais silvestres. Para a criação em cativeiro é preciso autorização especial do IBAMA.” – texto da matéria “Homem é preso após tentar furtar passarinho em Teresópolis, RJ”, publicada em 22 de julho de 2013 pelo portal G1

Em criadouros legalizados, essas aves custam, pelo menos, R$ 1 mil. Os altos preços de animais criados legalmente é um incentivo ao tráfico, onde os valores são muito mais baixos. Infelizmente, o hábito de criar animais silvestres como bichos de estimação ainda é muito forte e acaba sendo também outro incentivador para a existência do mercado negro.

Há quem defenda a existência de um amplo comércio legalizado de animais silvestres (para abastecer uma demanda por bichos de estimação) como ferramenta para combater o tráfico de fauna. Afinal, segundo os defensores dessa ideia, quem compraria um animal de procedência desconhecida, arriscando-se a contrair doenças e a problemas legais, se existe a possibilidade da compra dentro da lei?

Sem levar em conta a discussão ética sobre o direito à liberdade dos animais, a possibilidade de legalização do comércio de algumas espécies de silvestres tem de ser analisada pensando no preço. É o caso do trinca-ferro. Ou você acha que a maioria dos compradores de animais, cujo nível econômico não permite gastar altas quantias, vai deixar de comprar?

Infelizmente, não. O tráfico vai continuar a existir. E com força.

Isso já acontece com os papagaios-verdadeiros. No mercado negro, a ave custa entre R$ 150 e R$ 250. Em um criadouro legalizado, o preço varia entre R$ 1.800 e R$ 2.500.

Mesmo assim, o Ibama prepara a chamada “lista pet”, que, em breve, deverá ser divulgada pelo órgão com cerca de 100 espécies de silvestres com permissão para o comércio legalizado como bichos de estimação.

Um grande erro!

- Leia a matéria completa do portal G1
- Leia a matéria “Aberta a temporada do tráfico”, publicada na edição 101, de setembro de 2012, da revista Terra da Gente

2 comentários:

Helio Jr. disse...

Nós temos tráfico de animais, de drogas, de armas, de remédios, etc é pela situação social, falta de investimentos em escolas, empregos e demais condições básicas de sobrevivência. Se fosse droga, barra de ouro, carro novo, etc, o crime teria sido cometido da mesma forma.
Todos os animais domésticos foram um dia selvagens e através de anos de seleção genética hoje são domésticos. O tráfico é um crime que prejudica a nossa fauna e todo o ecossistema. Criatórios legalizados, animais vendidos com NF, preço diferente, etc é outra estória. Você pode juntar dinheiro e comprar um carro novo ou pode roubar um. Isso depende de sua cabeça, de sua consciência.

Helio Jr. disse...

Nós temos tráfico de animais, de drogas, de armas, de remédios, etc é pela situação social, falta de investimentos em escolas, empregos e demais condições básicas de sobrevivência. Se fosse droga, barra de ouro, carro novo, etc, o crime teria sido cometido da mesma forma.
Todos os animais domésticos foram um dia selvagens e através de anos de seleção genética hoje são domésticos. O tráfico é um crime que prejudica a nossa fauna e todo o ecossistema. Criatórios legalizados, animais vendidos com NF, preço diferente, etc é outra estória. Você pode juntar dinheiro e comprar um carro novo ou pode roubar um. Isso depende de sua cabeça, de sua consciência.